7 de maio de 2012

Montemuro, Arada e Gralheira - Turismo Sustentável é vantajoso para todos

Quinta, 03 Maio 2012 16:31
Toda a população foi chamada a participar no fórum para a implementação da Carta Europeia do Turismo Sustentável. A candidatura está a ser feita pela ADRIMAG, em colaboração com os sete municípios seus associados, no âmbito do projeto de Gestão da Parceria PROVERE, cofinanciado pelo POR do Norte – ON.2, no território que abrange as serras de Montemuro, Arada e Gralheira. A candidatura vai ser entregue em dezembro deste ano à EUROPARC (Federação Europeia de Parques), e pretende ser uma mais valia para todos. As primeiras sugestões já foram deixadas, mas todos podem ainda dar o seu contributo.
João Carlos Pinho, coordenador da ADRIMAG, explicou que «a Carta Europeia de Turismo Sustentável é um instrumento que poderá ser extremamente útil para esta região. Não temos aqui nada que consiga chamar as pessoas em termos de turismo de natureza, em termos de turismo desenvolvido com capacidade para nós podermos beneficiar as pessoas do território, sem degradar aquilo que cá temos.»
O território abrangido pela Carta contempla 4 zonas da Rede Natura 2000 e um Geopark, o de Arouca, tendo potencial para explorar um nicho de mercado específico e com algum poder de compra. Por isso, na primeira reunião do fórum, perante dirigentes associativos, empresários, artesãos e particulares, foi explicado aos participantes de que forma podem ajudar na implementação da Carta e contribuir para o desenvolvimento local.
Na primeira sessão do fórum foi explicado o processo de candidatura à CETS.

«Temos connosco a Ponto Natura, que nos está a assessorar nesta candidatura, e as pessoas estando presentes, colocando as questões e empenhando-se na divulgação e na promoção desta nossa candidatura, será para nós o garante de sucesso para possivelmente durante o próximo ano termos o galardão da CETS», considerou João Carlos Pinho.
Na sequência das dúvidas colocadas, as instituições culturais concluíram que podem articular as suas atividades com as unidades hoteleiras e a restauração, tendo sempre oferta cultural aos visitantes. Também os artesãos e pequenos produtores, em conjunto com os museus e os agentes económicos turísticos, podem encontrar uma forma de escoar os seus produtos. Estas foram as primeiras sugestões, mas todas são bem vindas, e todos podem ainda participar, comunicando as suas ideias no site da ADRIMAG ou junto das suas autarquias locais.
Não basta o território ter potencialidades únicas, é preciso que todos saibam trabalhar em equipa na sua divulgação e promoção. Da unidade do território sairá a sua sustentabilidade.
Cláudia Oliveira – Equipa Técnica da CETS

2 de maio de 2012

Privetur - Paulo Castro em S. Pedro do Sul




“Temos paisagem bonita e rica em termos de conservação da natureza, temos boas infra-estruturas de acolhimento, temos bons restaurantes, sabemos receber bem as pessoas, temos bons produtos, o que não temos é um produto turístico integrado”, comentou Paulo Castro ao PRIVETUR NEWS no final de uma sessão promovida pela ADRIMAG, nas Termas de São Pedro do Sul, dedicada à discussão de projetos para adesão da região à Carta Europeia de Turismo Sustentável.

Paulo Castro, engenheiro agrónomo, dedicou os últimos 30 dos 53 anos que leva de vida a projetos de desenvolvimento do território, com foco principal no norte de Portugal. Em 1996 assumiu a direção do Parque Nacional da Peneda Gerês, Atualmente, e desde 2001, integra a EUROPARC, federação que se apresenta como “a voz dos espaços protegidos na Europa, reunindo entidades públicas e privadas que gerem os tesouros verdes da Europa, designadamente, terra, mar, montanha, florestas, rios e património cultural”.

O EUROPARC está presentemente a promover a Carta Europeia do Turismo Sustentável como “ferramenta de gestão prática dedicada à promoção continuada do desenvolvimento sustentável e à gestão do turismo em harmonia com o interesse do ambiente, das populações locais e das empresas locais que operam na área do turismo”. A Carta apresenta-se como um certificado de excelência atribuído a um território com valor ambiental em que se desenvolve, de modo sustentável, turismo de qualidade.

É com a ambição de desenvolver esse reconhecimento que a ADRIMAG, Asociação para o Desenvolvimento Rural Integrado das Serras de Montemuro, Arada e Gralheira, organizou, em 20 de Abril, nas Termas de São Pedro do Sul e em Arouca, um fórum aberto à comunidade dos seus sete municípios (Arouca, Castelo de Paiva, Castro Daire, Cinfães, São Pedro do Sul, Sever do Vouga e Vale de Cambra) para discussão de oportunidades de candidatura do território ADRIMAG à Carta Europeia de Turismo Sustentável.

O que está em causa, explicou Paulo Castro em nome da EUROPARC, “é a oportunidade para dar coerência lógica de turismo natureza a um território que tem um geoparque e quatro sítios de interesse comunitário da Rede Natura 2000”.

Paulo Castro, em entrevista ao PRIVETUR NEWS, destacou que o território ADRIMAG é “especial e privilegiado, pela qualidade ambiental que tem reconhecida, pela história agrícola e rural que proporciona produtos agro-alimentares de grande qualidade, a isto acrescendo o saber fazer das pessoas daqui, nomeadamente no domínio do artesanato, e o facto de ser território situado na proximidade da segunda cidade do país e do seu aeroporto internacional”.

Falta, repetiu Paulo Castro, definir e apresentar “o que faz a diferença neste território, o que faz este território ser único e especial”. Reforçou este especialista em desenvolvimento de território rural e turístico: “O que nos falta aqui é organizarmo-nos: sabermos transformar um potencial em algo de efetivo, construirmos oferta turística consistente, organizada, gerar um produto que ofereça ao mercado um produto turístico unificado, coerente.” Paulo Castro, no debate em São Pedro do Sul, convidou à cooperação entre todos, sejam os proprietários de alojamentos ou de restaurantes, como o empresário da bomba de gasolina, os pequenos comerciantes de produtos locais ou até o quiosque de venda de jornais e revistas, “gerando em comum riqueza para todos”.

O território das serras de Montemuro, Arada e Gralheira está a ser definido como o das “Montanhas Mágicas de Portugal”. Falta que todos concorram para criar ainda melhor magia.[FSS e NSM]